O badalar dos sinos aos domingos, sempre representou um momento muito especial de contrição e devoção espiritual, porém a igreja Matriz de Santo Amaro continha algo em especial, pois convidava os fiéis jaboatonenses do início do século XX, para que além da liturgia, pudessem ver e ouvir um gênio da música.
Chromácio Leão Teixeira da Silva, Nasceu em 28 de junho de 1886 na cidade da Penha-RN, hoje chamada Caguaretama.
Foi instruído musicalmente pelo seu pai Caetano Xavier da Silva, um mestre de música capitão da guarda nacional. E por vezes, pela sua mãe Francisca Teixeira da Silva, mulher altamente prendada nas artes domésticas, mas também uma pianista de grandes méritos.
Chromácio Leão fez a sua primeira composição aos 15 anos e devido a sua vocação religiosa, o gênero sacro tornou-se o seu modo mais elevado de compor. Nesse gênero podemos destacar a missa nº 3 chamada “Jubilar”. Podemos também encontrar entre suas obras: chorinhos, valsas, tangos, dobrados, retretas e óperas.
Tocava vários instrumentos de sopro, mas tornou-se especializado em saxofone e harmonium.
Seu lado sacerdotal desabrochou na adolescência ingressando no seminário aos 11 anos. Aos 19, transferiu-se para o seminário de Olinda-PE onde estudou teologia e ordenou-se no dia 21 de novembro de 1909 na matriz de Santo Antônio Recife- PE. Celebrou a primeira missa no dia 14 de dezembro do mesmo ano, na igreja de nossa senhora da paz no bairro de Afogados no Recife. Em 04 de fevereiro de 1912, assumiu a paróquia de Santo Amaro do Jaboatão, onde organizou a catequese, Pia, União das filhas de Maria, a escola Cantorum Sagrado Coração de Jesus e a Sinfônica Paroquial.

Visite o Instituto Histórico de Jaboatão e conheça mais sobre a história deste Grande Homem.

Veja também site alusivo a este evento <Veja aqui >